Mãe Sem Frescura | %tag%

Nossos Destaques

Que mãe você quer ser? – 2º Seminário Internacional

Que mãe você quer ser?

Este é o tema do próximo Seminário Internacional de Mães de  que apoio com muito orgulho e que será realizado em junho – Belo Horizonte. A grande novidade deste ano é que as seguidoras tem 10% de desconto na inscrição e olha que este valor promocional será por pouco tempo. Para ganhar o desconto é só usar o cupom “maesemfrescura10”. Muito fácil, não é mesmo?

 

Mãe Sem Frescura - Que mãe você quer ser - 2º Seminário Internacional de Mães01

 

Super me identifiquei com o tema deste ano, porque não gosto de seguir regras e sou uma mãe que se descobre todos os dias para fazer meu filho feliz. Uma mãe que trabalha fora e vive a loucura de grande parte das mulheres, tentando ficar cada vez mais próxima dos pequenos e sua família, garantindo que aqueles poucos momentos sejam de qualidade. Isso que importa.

Queremos ser felizes, para isso o amor é fundamental na criação dos pequenos, assim com esta série de mudanças, optamos por uma vida mais saudável, escolas mais humanizadas, ou seja, um novo jeito, uma nova maternidade.
Não é fácil, mas também não é impossível. Sei que muitas vezes nos sentimos tristes, infelizes e que não somos boas mães, é uma fase e que precisamos de ferramentas que nos garantam a qualidade de vida que tanto queremos. Não há um modelo único, pois cada uma terá o prazer de se descobrir como mãe, uma mãe diferente de todas as outras.

A cada edição, o Seminário Internacional de Mães pretende ser um espaço para refletir sobre essas questões, tendo o apoio de renomados especialistas e estudiosos de diversas áreas, incluindo autores de obras que figuram nas listas dos livros mais vendidos em todo o mundo.

 

Mãe Sem Frescura - Que mãe você quer ser - 2º Seminário Internacional de Mães02

Quem estará lá?

Laura Gutman

Psicoterapeuta familiar, Laura nasceu em Buenos Aires e viveu em Paris, onde graduou-se em psicopedagogia clínica e foi discípula de Françoise Dolto, famosa psicanalista francesa. Nossa convidada é autora dos best sellers “A Maternidade e o Encontro com a Própria Sombra”, “O Poder Discurso Materno”, entre outros.

Ashley Merryman

Na criação dos filhos, pensar que as coisas se dividem exatamente entre boas e más pode ser um erro básico. É o que defende a americana Ashley Merryman, em seu livro “Os 10 Erros Mais Comuns na Educação de Crianças”, um best seller provocativo, baseado em pesquisas, que desafio o conhecimento convencional sobre como criar filhos.

Gabriela Kapim

Mãe de dois filhos, Sofia e Antônio, a nutricionista Gabriela Kapim trabalha com crianças há mais de 13 anos. No ar com o programa “Socorro, Meu Filho Come Mal”, do canal GNT, Gabriela já ajudou mais de quarenta famílias.

Ligia Guerra

Há muito tempo as mulheres vem se desdobrando em mil, esforçando-se para ser excelente profissional, ótima mãe, amante perfeita e dona de casa dedicada. Chegou a hora de abandonar o papel da super mulher e assumir que estão super cansadas! Essa tentativa tem deixado muitas mulheres exaustas, infelizes e frustradas. Em sua carreira como psicóloga e palestrante, Lígia vem se dedicando a entender melhor os comportamentos que reforçam esse padrão.

Dra. Filó

Filomena Camilo do Vale, conhecida como Dra. Filó, é uma das pediatras mais requisitadas de BH. Seu nome está sempre presente nos rankings dos pediatras mais admirados da cidade, eleitos pelas mães. Em seu consultório, é grande a lista de espera de pais ansiosos para conseguir um horário em sua agenda disputada. Especialista em Cardiologia, a médica jamais abandonou o seu trabalho no Centro de Tratamento Intensivo Infantil da Santa Casa, onde atende há mais de 20 anos.

 

Que mãe você quer ser?

Para saber mais:

Site: www.seminariodemaes.com.br

Desconto: 10% – cupom: maesemfrescura10

Apaixonada pela sua família e por corridas, vive intensamente a rotina de mãe que trabalha fora, reforçando o conceito do equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

Minha Mãe Não é Alice – Terapia de Mãe

Minha Mãe Não é Alice – Terapia de Mãe

Eu não sou uma mãe Alice. Você é?
Recebi o texto abaixo da Patricia Lopes e logo me identifiquei. Tenho certeza que você também vai se identificar. Uma boa terapia para você!

Mãe Sem Frescura - Minha Mãe não é Alice - Terapia de Mãe
Texto da querida Patricia Lopes:

Sabe, doutor, eu acho que todas as mães do planeta se cobram, se culpam, se parabenizam e se questionam. Tem dias que nossos pensamentos tomam rumos perturbadores e outros dias, se pudéssemos, daríamos um abraço em nós mesmos pela paciência de ter concluído o almoço do filho. Parece que vivemos em um jogo de pontos: Se o filho obedeceu, ganha cinco pontos, se não quer tomar suco, perde dois pontos. E, no final do dia nos sentimos no vigilante do peso implorando por uma barrinha de cereal. Como calculamos esses pontos? Existe uma tabela padrão? Os outros veem nossas pontuações? Eu passo de ano quando atingir qual média? Não, porque se é para jogar precisamos de regras, certo? Errado! Eu sei!

Maternidade não é um jogo de perdas e ganhos, maternidade é um tabuleiro sem peças, cartas, pinos e fim! Maternidade tem apenas uma casa chamada: “Inicio”. E, aqui estou eu, tentando entender como se aprende, como se faz e como continua. Ninguém me ensinou. Eu não estudei essa disciplina. Não sei se estou certa ou errada. E, muitas vezes me sinto só! Aprendi que você pode se sentir só, mesmo estando rodeada de pessoas. A maternidade tem isso, principalmente no início, a mãe perde um pouco a vaidade, esquece-se dela, mistura a vida dela com o filho e muitas vezes não sabe mais quem é!

Eu já troquei pasta de dente por creme de assadura, já coloquei a sapatilha nos pés trocados, já andei com o carrinho faltando uma roda, já coloquei roupas que não combinam, já esqueci ano de nascimento, já coloquei a fralda errada, já dei comida que eu não gosto e já esperei ele dormir para comer um chocolate sozinha! Nesse dia perdi pontos, mas, não penso duas vezes em ficar com o bife menor.

Tem dias que queria uma noite inteira só pra mim e aí me culpo por pensar assim, tem dias que queria sair sozinha e aí me cobro mais. Tem dias que quero ficar grudada e agarrada com ele e aí penso que independência também é legal. Às vezes, é difícil entender o caminho certo e sorrir para si mesma, pensando “Mandou bem, mamãe”! Temos tantas perguntas, conversamos tanto e quando achamos que somos peritas na arte de maternar, vem uma vacina nova que divide opiniões. Sabe, doutor, eu já conheci algumas mães de pracinha que são celestiais e veem tudo cor de rosa. A sensação que eu tenho é que elas comem algodão doce pensando que estão comendo nuvens. Ok, já entendi! Viajei! Mas é mais ou menos isso. Fico pensando qual a pontuação delas e em que lugar no ranking ficariam.Sabe doutor, eu não sou mãe Alice e não moro no país das maravilhas! A mãe Alice toma chá e come “escargot”, eu quero tomar suco e comer um pão com Nutella! Essa é a nossa diferença! Quero ser normal, uma mãe normal. Quero rir da maternidade, quero rir das coisas chatas que meu filho faz e não quero receber olhares por isso! A maternidade traz um lado competitivo e comparações como “andar”, “falar” e “largar fraldas” são comuns em um mundo tão palpiteiro. Quero criar um filho normal sem tanta cobrança e expectativa! Quero que ele faça as coisas no tempo dele.
Acho que todas as mães do mundo vivem o antes e o depois do filho, como se os nossos pensamentos mudassem, nossas prioridades tomassem formas diferentes e nossa vida tivesse outro sentido! Um sentido muito lindo, mas que algumas vezes dá medo! Mãe é um ser medroso e corajoso, e esse paradoxo nos instiga e nos enfraquece! A gente nunca sabe se merece um tapinha nas costas em ter feito um bom trabalho! Nós não temos chefes e nem somos avaliadas por alguém, mas a nossa intuição vale como um mestrado!
Já acabou, Doutor? Falei muito né? Eu sei! Para acabar, queria saber só uma coisa: Você acha muita loucura criar um quadro maternal onde saberei minha pontuação no final do dia?
Já entendi! Obrigada, de nada!Quer saber mais da Patrícia Lopes?!
Facebook: Minha Mãe Não é Alice

Apaixonada pela sua família e por corridas, vive intensamente a rotina de mãe que trabalha fora, reforçando o conceito do equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

Pais&Filhos apresenta “1º Seminário Internacional de Mães”

Pais&Filhos apresenta “1º Seminário Internacional de Mães”

Evento conta com formadores de opinião e profissionais renomados, como as jornalistas americanas Melinda Blau e Pamela Duckerman, ícones mundiais pela primeira vez no Brasil, escritoras dos respectivos best-sellers “A Encantadora de Bebês” e “Crianças Francesas Não fazem Manha”.
Reunir excelentes profissionais e formadores de opinião para a discussão de um assunto que faz parte do cotidiano feminino: o desafio de ser mãe nos dias de hoje. Esse é o principal objetivo da Pais&Filhos para o 1º Seminário Internacional de Mães – evento que acontece no dia 11 de julho no Hotel Ouro Minas, em Belo Horizonte (MG), em parceria com o “Sou Mãe”, da capital mineira.
Mãe Sem Frescura - Pais&Filhos apresenta 1º Seminário Internacional de Mães
O destaque do evento vai para a presença das jornalistas americanas Melinda Blau e Pamela Duckerman, ícones mundiais pela primeira vez no Brasil, escritoras dos respectivos best-sellers “A Encantadora de Bebês” e “Crianças Francesas Não fazem Manha”. Ambas revolucionaram o universo materno com as publicações, com dicas e experiências para auxiliar as mães na educação dos filhos, com temas de extrema importância, como sono, alimentação, planejamento familiar com a chegada do bebê, entre outros.
As jornalistas alcançaram grande sucesso com os livros e, atualmente, contagiam e encantam o universo materno no mundo inteiro, com palestras e demais obras escritas. “O Seminário será um evento inédito que foi especialmente produzido às mães. Sabemos que a tarefa de equilibrar a vida pessoal, profissional e a chegada de um filho não é nada fácil às mulheres. O evento permitirá aos participantes o conhecimento de experiências e estudos desenvolvidos por ícones mundiais, como a Melinda e a Pamela”, diz Mônica Figueiredo, diretora de redação da Pais&Filhos.
O 1º Seminário Internacional de Mães contará com sete palestrantes que ministrarão sobre temas relevantes como, por exemplo, relacionamento sexual e vida familiar depois dos filhos, equação do casamento, alimentação, sono, educação dos pequenos, entre outros, com a moderação da jornalista Marcia Neder.
“Será um grande momento de reflexão e aprendizado ao público materno. Temos convicção de que o Seminário será um propagador de novas ideias e temas que entrarão na vida das mulheres e da família de uma maneira geral”, afirma Marcos Dvoskin, presidente da Pais&Filhos.
As convidadas internacionais, Pamela e Melinda, abordarão os temas: “O que podemos aprender com os franceses sobre a criação dos filhos” e a “Construção e gerenciamento da família”, respectivamente. Pamela escreveu “Crianças Francesas Não fazem Manha”, após ser demitida do Wall Street Jornal e se mudar para Paris, em 2004, onde se se tornou mãe e dona de casa. O cenário que viveu fez refletir que não estava se saindo bem em nenhuma das duas funções, diferente da realidade dos franceses, em que os filhos e família viviam em perfeito equilíbrio. Foi assim que decidiu investigar as famílias francesas e a partir daí surgiu o livro.
Melinda Blau é uma jornalista premiada que pesquisa, escreve e aborda os relacionamentos e tendências sociais há mais de 30 anos. Em 2000 começou a colaborar com Tracy Hogg e, desde então, a parceria deu origem a três best-sellers: “A Encantadora de Bebês”, “Mais segredos de Uma Encantadora de bebês – Para Crianças de 1 a 3 anos” e “A Encantadora de Bebês Resolve Todos os Seus Problemas”. Seu novo livro, “Family Whispering”, ainda sem tradução ao português, traz a construção e planejamento familiar como tema principal.
SERVIÇO
– 1º Seminário Internacional de Mães – 11/07/2015
– Das 8h30 às 18h30
– Inscrições: www.seminariodemaes.com.br
– Hotel Ouro Minas, Belo Horizonte (MG) – Av. Cristiano Machado, 4001
– Programação:
8h30“Qual o desafio de ser mãe nos dias de hoje?” – Com mais de três décadas de experiência, a jornalista Mônica Figueiredo é uma das profissionais de maior expressão na área de publicações dirigidas aos públicos feminino e juvenil. Os desafios que a mulher enfrenta ao equilibrar várias funções dentro e fora de casa serão os pontos abordados pela jornalista.
8h45“A arte de ser mãe” – A publicitária, escritora e colunista, Cris Guerra, compartilhará uma nova discussão sobre crenças arraigadas que trazem às mães sentimentos contraditórios como a eterna culpa materna.
10h30 – Coffee Break
11h“A equação do casamento – o que pode (ou não) ser mudado na sua relação”Luiz Alberto Hanns, psicólogo, psicanalista e pesquisador em psicoterapia abordará a arte de viver a dois. Hanns apresentará a realidade dos casais e os conflitos em que vivem diluídos no tema que leva o nome do seu próprio livro, uma coletânea de assuntos compilados durante 20 anos de experiência.
12h30 – 14h – Horário livre para almoço
14h “Construção e gerenciamento da família”Melinda Blau, jornalista e escritora americana, falará sobre relacionamento e tendências sociais. Há mais de trinta anos à frente de obras consagradas, como o best-seller “A Encantadora de Bebês”, a jornalista trará à tona um assunto que transita no cotidiano das famílias.
15h30“O que podemos aprender com os franceses sobre a criação dos filhos?” – A jornalista americana, Pamela Druckerman, abordará assuntos que fazem parte do livro “Crianças Francesas Não Fazem Manha”, presente na lista de livros mais vendidos no Brasil. A experiência da escritora permitiu a avaliação dos franceses na educação dos filhos.
17h – Coffee Break
17h30 – “Talk Show: Sexo depois dos filhos” – A psicóloga, educadora sexual e comunicadora social, Laura Muller, abrirá um bate papo às participantes sobre o tema. Laura participa como sexóloga do programa Altas horas, da TV Globo, é autora de quatro livros, além de outros trabalhos que desenvolve nessa área de atuação.

Apaixonada pela sua família e por corridas, vive intensamente a rotina de mãe que trabalha fora, reforçando o conceito do equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

10 Dicas para ser uma Mãe Sem Frescura – Participe!

10 Dicas para ser uma Mãe Sem Frescura

Quando a mulher planeja e realiza o sonho de ficar grávida já imagina como será sua vida de mãe, idealizando cada momento tanto da gestação quanto da criação do seu filho. É um momento mágico, onde cada detalhe faz a diferença. Entretanto, pensamos sempre no bem estar dos filhos, querendo ser aquela mãe super protetora, já imaginando dando comidinha na boca, fazendo carinho para o seu pequeno dormir, dando a mamadeira e uma série de outras coisas.

Mãe Sem Frescura - 10 Dicas para ser uma Mãe Sem Frescura

Sempre idealizei desde a gestação que seria uma mãe moderna e sem frescura. Este pensamento deu o nome ao blog “Mãe Sem Frescura”.

O que é ser uma Mãe Sem Frescura?
Você é uma Mãe Sem Frescura?
Como se tornar uma Mãe Sem Frescura?
Para mim, Mãe Sem Frescura é aquela que deixa o filho crescer e criar as suas próprias asas, dando claro todo o alicerce para que isso aconteça de forma natural, não abdicando de nada pelos filhos, e sim, fazendo-os participar de tudo.
10 Dicas para ser uma Mãe Sem Frescura - Coluna

 

Confira as 10 Dicas para ser uma Mãe Sem Frescura:

1) Segurar e tomar sozinho a mamadeira (confira aqui);

2) Procurar a chupeta caso perca no berço durante a madrugada ou em qualquer outro período, evitando choro para simplesmente localizá-la;

3) Ir dormir e, se o seu filho não estiver com sono, deixá-lo a vontade assistindo os seus desenhos preferidos no berço;

4) Mostrar para o seu filho que a mamadeira dele está no balcão ao lado do berço e se sentir fome de madrugada é só levantar e tomar o seu leitinho;

5) Não comprar mais do que 5 sapatos, por exemplo. Para que o seu filho(a) precisa de mais de 5 sapatos?! Os pés dos pequenos crescem tão rápido que se você tiver mais do que 5, provavelmente uns 2 a 3 somente serão usados uma única vez;

6) Não se preocupar com roupas de marca, porque crianças crescem e o custo é realmente desnecessário. Agora se você gosta daquela marca por causa da qualidade e/ou modelo, aí é outra questão, ou seja, você não está ligando para a marca daquele produto, e sim, para outro detalhe que lhe chamou atenção;

7) Deixe o seu filho brincar e se sujar, porque crianças querem mais é se divertir, nem que você tenha que colocá-lo direto no banho depois;

8) Não sobrecarregue o seu filho com milhões de atividades que não farão dele uma pessoa melhor ou pior, ou seja, procure algo que realmente demonstre interesse (confira aqui);

9) Utilize o serviço público e dê as vacinais disponíveis no posto de saúde, porque o seu filho certamente estará protegido e complemente nas clínicas particulares as que não estiverem disponíveis (confira aqui);

10) Deixe o seu filho se vestir e comer sozinho. Ele vai demorar, fazer tudo errado e com aquela sujeira, mas em pouco tempo fará de forma rápida (confira aqui).
Ser uma Mãe Sem Frescura não é fácil, embora assim, estou mostrando para o meu filho que é importante crescer e amadurecer, sendo uma criança que brinca, pula e faz muita arte
Estou lançando a coluna “Eu Também Sou uma Mãe Sem Frescura” que você pode contar aqui e para o mundo, porque você também se considera uma Mãe Sem Frescura. Vamos participar? 

Envie o seu texto e 2 fotos para o e-mail maesemfrescura@yahoo.com.br . Lembrando que, todos os textos serão avaliados e revisados, se necessário. 


Muito Fácil!
Então, corre e escreva para a gente.

Apaixonada pela sua família e por corridas, vive intensamente a rotina de mãe que trabalha fora, reforçando o conceito do equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.