Mãe Sem Frescura | %tag%

Nossos Destaques

A Mãe da Vida Real – Site M de Mulher {Confessionário}

A Mãe da Vida Real – Site M de Mulher {Confessionário}

Hoje o blog Mãe Sem Frescura está no Confessionário do site M de Mulher da Editora Abril contando um episódio que aconteceu com o meu filho que marcou a minha vida, porque com a maternidade é comum errar tentando acertar.

Clique aqui para conferir “A Mãe da Vida Real“.
Mãe Sem Frescura - A Mãe da Vida Real - Site M de Mulher Confessionário
Mãe Sem Frescura - A Mãe da Vida Real - Site M de Mulher Bebê.com.br {Confessionário}
Priscila Casimiro
Mãe Sem Frescura
www.maesemfrescura.net

Apaixonada pela sua família e por corridas, vive intensamente a rotina de mãe que trabalha fora, reforçando o conceito do equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

A Alegria e Complicação de Ser Mãe – 1º Passeio do Bebê

A Alegria e Complicação de Ser Mãe – 1º Passeio do Bebê

Quando finalmente o teste da farmácia dá positivo, a gente se depara com aquela euforia sem tamanho, com aquele sentimento que agora somos mães, um amor inexplicável. Não pensamos mais no “eu”, e sim, em “nós”. Nunca mais seremos como antes, porque a partir daquele momento, mesmo que o bebê seja do tamanho de um grão de arroz, essa é a prioridade de nossas vidas.

A Alegria e Complicação de Ser Mãe - 1 Passeio do Recém Nascido - Mãe Sem Frescura

A vida se transforma, começamos a ver o mundo com outros olhos, ter medo de tudo, e principalmente, pensar no futuro. Um futuro que ainda é incerto, embora na loucura da cabeça de uma mãe tenta planejar nos mínimos detalhes para que nada saia errado e a felicidade do seu filho esteja sempre presente naquele sorrisinho lindo.

Em meio a esse turbilhão de sentimentos, a gente se fecha e após o parto, muitas mães ficam meses em casa trancafiada.

Por que?
Por que muitas escolhem a reclusão?
Por que achamos que ficarmos em casa com o bebê recém nascido é a melhor alternativa?

A resposta é o MEDO! O medo da culpa, porque você pensa que se você sair e seu filho ficar doente, a culpa será integralmente sua.

Podemos mudar este cenário? Podemos simplesmente curtir a maternidade sem esta culpa? Sim, claro! Deve-se sim ficar em casa o tempo que foi estipulado pelo pediatra, embora seja importante verificar se o médico escolhido não é precavido demais, o que atrasará neste processo. A recomendação gira em torno de 30 a 40 dias (data de algumas vacinas), entretanto este período pode ser reduzido com alguns cuidados, ou seja, passeios que buscam tranqüilidade, sem aglomeração de pessoas e muito ar puro.

Que tal um parque às 8 ou 9h?!
Muita natureza, ar puro e tranquilidade, o lugar perfeito para o bebê finalmente ver, mesmo que embaçado, o mundo que o espera. Caso a estação seja o inverno não se intimide, procure um dia com uma temperatura amena, agasalhe o bebê do mesmo jeito que está vestida e pronto! Vamos passear?!

Assim, o processo de curtir a maternidade se inicia com a coragem para vivenciar a primeira saidinha com o bebê, fazendo com que aquele medo de antes fique no passado.

Aproveite, porque esta fase é única!

www.maesemfrescura.net

Apaixonada pela sua família e por corridas, vive intensamente a rotina de mãe que trabalha fora, reforçando o conceito do equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.