Mãe Sem Frescura | %tag%

Nossos Destaques

A Sensação Indescritível da Primeira Meia Maratona

Preparada para os 21 km? Como é correr o desafio da primeira Meia Maratona?

Sabe quando você se apaixona por algo? A corrida foi assim comigo! Ela me assusta desde o início, disse muito “não” para começar, mas a sensação de superação e desafio me conquistaram. É o que os corredores sempre dizem: “Corredor é aquele que madruga e gosta de sofrer!” Concordo plenamente, porque quem gosta de correr tem que acordar cedo (sol menos intenso, menos gente no circuito) e “sofre” a cada nova meta estabelecida.

Mãe Sem Frescura - A Sensação Indescritível da Primeira Meia Maratona - 21km - Acredita

Comecei a correr em set/2015 (contei como tudo começou aqui), foi assim do nada, quer dizer por pressão do meu marido e simplesmente me apaixonei de um dia para o outro. Não sei bem explicar, mas a corrida conquistou o meu coração.

Depois de alguns contratempos que contei aqui, resolvi partir para um novo desafio – 21 km – minha primeira Meia Maratona. Tudo começou quando vi um post da Carol Aoque informando da BSB City Half Marathon com a agência de viagem Tivoli Run que auxiliaria em tudo da viagem, ou seja, não precisava me preocupar com nada, só correr!

Na mesma semana tudo fechado! Meu Deus… e agora? Faltavam 2 meses para a Meia Maratona! Fiquei bem preocupada com o meu joelho, não queria sentir dores. Então reforcei os treinos de musculação e corrida, mas em muitos momentos fiquei com medo!

O dia chegou! Nunca viajei sem o Flavio e no final de semana para completar ele teria uma apresentação na escola e um campeonato de futebol. Fui com dor no coração, até pensei em desistir, mas o desafio estava lançado e não podia fraquejar. Ele esperava a mãe com a tal medalha prometida.

Quem encontrei na visita a Expo?

No pacote da Tivoli Run estava incluso visita a Expo, foi onde vi o meu nome no tão sonhado painel. Faltava só um dia e o frio da barriga já tinha começado (kkkk). No mesmo momento, adivinha quem estava palestrando por lá? A incrível Valéria Melo (confere a entrevista aqui) que sempre me inspira com os seus treinos super determinados e aquela simpatia incrível.

Mãe Sem Frescura - A Sensação Indescritível da Primeira Meia Maratona - 21km - Acredita - Meu nome no banner BSB City Half Marathon

 

O que pensei?

Olha… difícil dizer… pensei em tanta coisa, principalmente no Flavio que ficou em São Paulo. Não tinha meta de tempo, porque o meu desafio era completar a Meia Maratona correndo! Fiquei com medo da dor, de fraquejar e não ser capaz daquela loucura. Nunca tinha corrido mais de 14 km.

Como foi a minha primeira Meia Maratona?

Comecei bem tranquila, não queria forçar, ou seja, fui num ritmo agradável (correndo tá). Muitas coisas passaram na minha cabeça e o meu marido foi ao meu lado (ele fez este sacrifício kkk). Foi ótimo! Pedi para ele não exigir muito de mim… vamos nos divertir e pronto! Ele foi até conversando e eu nem conseguia dizer nada (estava morta kkk).

Ele me animou, incentivou e fez com que eu não fraquejasse. A prova é longa, muito longa. Dizem que a Meia Maratona de Brasília não tem ladeira, então o que é isso? (foto abaixo) Tinham momentos que pareciam sem fim. Ladeiras que enganam e não acabam nunca.

Mãe Sem Frescura - A Sensação Indescritível da Primeira Meia Maratona - 21km - Acredita - Juntos do início ao fim - BSB City Half Marathon

 

No km 18 já não sentia mais nada no meu corpo, tipo adormecido, sabe? Mas, não podia desistir. Treinei tanto para estar ali e pesava muito ter deixado o Flavio. Não podia voltar sem esta conquista.

No km 20, as dores voltaram e parecia que o final nunca chegava. O meu marido disparou na frente e lá estava eu, brigando comigo mesma e dizendo “ACREDITA. Sim, acredita! Eu sou capaz! Eu posso sim! Agora falta pouco! Vamos Pri!!!!!” (estava tão emocionada)

 

Mãe Sem Frescura - A Sensação Indescritível da Primeira Meia Maratona - 21km - Acredita - Ladeira BSB City Half Marathon

 

Lá fui eu, tirando o último gás, tentando sorrir para a foto e o meu marido estava lá há alguns metros da chegada me esperando para cruzarmos a linha de chegada juntos. Foi simplesmente incrível! A sensação da conquista é indescritível!

Como correr me faz bem! Por que demorei tanto para descobrir algo tão bom como a corrida?

Mãe Sem Frescura - A Sensação Indescritível da Primeira Meia Maratona - 21km - Acredita - Correr Vicia - BSB City Half Marathon

 

Qual é a sensação de ser Meia Maratonista?

Não fiz no melhor tempo (2h31min), porque o importante para mim foi correr. Provar para mim mesma que sou capaz! Que a vida é cheia de obstáculos e quando queremos, enfrentamos o desafio, podemos sim ter uma conquista incrível.

Mãe Sem Frescura - A Sensação Indescritível da Primeira Meia Maratona - 21km - Acredita - Agora sou Meia Maratonista - BSB City Half Marathon

 

A corrida me mostrou que sou forte, que sou mais capaz do que realmente imaginava! Essa é a minha primeira meia maratona de muitas! Agora sim… Meia Maratonista! Uhhhuuu….

Mãe Sem Frescura - A Sensação Indescritível da Primeira Meia Maratona - 21km - Acredita - Chegada em casal

 

Ah… e adivinha quem eu encontro no final? Valéria Melo, claro! Tem como não se inspirar (21km em 1h29)?! Amei!!!

Mãe Sem Frescura - A Sensação Indescritível da Primeira Meia Maratona - 21km - Acredita - a incrível Valery Melo - BSB City Half Marathon

 

Apaixonada pela sua família e por corridas, vive intensamente a rotina de mãe que trabalha fora, reforçando o conceito do equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

Mãe e Corredora por Paixão | Entrevista com Tatiane Santin

Mãe, Engenheira e Corredora por Paixão | Entrevista com a determinada Tatiane Santin

Com simplicidade, determinação, amor e muito treino, Tatiane Santin venceu a depressão pós parto com a atividade física e é a entrevistada de hoje. Ela é mãe de 2 filhos, engenheira e atrai mais de 30 mil seguidores (@tatibergamosantin) no Instagram, compartilhando a sua rotina de treinos e vida em família.

Mãe, Engenheira e Corredora por Paixão Entrevista com a determinada Tatiane Santin

 

Tatiane Bérgamo Santin, 31 anos, engenheira ambiental, mãe de 2 filhos – José e João – , casada há 9 anos e maratonista por paixão com a conquista de diversos pódios, inspirando mais de 30 mil seguidores em seu Instagram – @tatibergamosantin.


1) O que a corrida significa para você?

“A corrida significa paz, superação, doação, partilha!”, Tatiane Santin declara animada.

“Vejo na superação de correr, a paz que o ato de se doar (correndo) apenas por mim traz! Além disso tive a sorte de poder partilhar isso com centenas de seguidores, levando outras pessoas seguirem o mesmo caminho de correr e se superar! De fato isso é um privilégio!”, comenta agradecida.

Mãe, Engenheira e Corredora por Paixão - Entrevista com a belíssima Tatiane Santin - Nike Vem Junto

 

2) Como você já comentou em seus posts, a sua história com a corrida começou para vencer uma depressão pós parto após o nascimento do seu filho há 7 anos. Quem te apresentou a corrida e como ela te ajudou?

“Fui apresentada a corrida através do meu marido! Recém casado quer fazer tudo que é coisa junto né?! Eis que ele foi correr e eu quis ir junto! Não aguentei trotar nem meia quadra! Kkkkk … Fui motivo de chacota dele e do amigo que estava junto!”, conta envergonhada.

“Na mesma semana procurei uma assessoria de corrida que me passou algumas estratégias para ganhar fôlego/cardio! Porém em um susto engravidei com apenas 6 meses de casada (fui trocar de anticoncepcional) então não tive tempo de aprender a correr de fato! Mas aquela sementinha estava plantada! Rs”, lembrando deste momento especial.

Mãe, Engenheira e Corredora por Paixão - Entrevista com a belíssima Tatiane Santin - Depressão Pós Parto

“Aí começa a parte da história que todos conhecem! Junto com tratamento, o médico aconselhou fazer atividades ao ar livre e algum esporte para ajudar na produção de serotonina e etc! Decidi retomar o projeto de corredora e daí pra frente não parei mais!”.

 

3) Você é mãe, trabalha fora e treina diariamente. Como é dar conta de tudo isso?

“Não vejo como “dar conta de tudo”, desabafa Tati. “Tenho uma vida tão abençoada com horário flexível no trabalho, uma pessoa que me ajuda em casa, outra que me ajuda com os meninos. Enfim, me sinto tão privilegiada que de fato me cobro a ser boa em tudo!”, conta agradecida.

Mãe, Engenheira e Corredora por Paixão - Entrevista com a belíssima Tatiane Santin - Filhos 2

“Não posso reclamar de nada! Apenas sou grata e tento mesmo que com tudo em mãos, ser presente na educação dos meus filhos, atenta nos afazeres domésticos e com a família! Continuo a trabalhar porque me edifica e treino muito porque me faz feliz!”.

Mãe, Engenheira e Corredora por Paixão - Entrevista com a belíssima Tatiane Santin - Filhos

 

4) A maratona de Berlim, Nova York e Porto Alegre foram um grande marco na sua vida, o que elas representaram para você? Qual foi a sensação de cruzar a linha de chegada após tanta preparação?

“Ah sensação única!! Estava refletindo sobre isso esses dias!”, declara animada. “Primeira maratona, sua vida vira uma maratona! Tudo que fiz no ano de 2015 pré Berlim, era pensando em torno da maratona! Hoje dou risada quando lembro disso!”.

“Claro que cada uma delas teve seu valor e nada como a experiência para nos fazer melhor! Hoje estou na segunda maratona do ano e faço ela se encaixar na minha rotina! Quero que a minha vida continue plena e feliz com a corrida de coadjuvante! Não o contrário sabe!?! No insta, como falo apenas de corrida, pessoas mais distantes podem até pensar o contrário! Mas na vida  real é diferente!”, conta sobre a sua vida além da corrida.

“Um dia as maratonas vão passar, insta vai acabar e o que vai ficar?! As histórias, sensações e vitórias! Já o real, a família, amigos, trabalho, são eternos! Então a vida real é o papel principal, corrida, insta coadjuvantes!”, declara sobre sua vida na rede social.

5) Três meses antes da maratona de Nova York passou por uma intervenção cirúrgica estética, comentando nos seus posts o quanto estava difícil o retorno aos treinos após o repouso médico. Como foram esses dias com a pressão da maratona?

“Nossa… foram dias terríveis que me fizeram por momentos lembrar a depressão pós parto!”, conta desanimada lembrando dos dias difíceis. “Mas também foi um momento para ligar o alerta e ver que a vida não pode ser medida como prazerosa por estar ou não ativa nos exercícios! Caso um dia eu não puder mais voltar ? A vida vai acabar ? Não né ! Tentei focar nisso!”, conta arrepiada.

“Mas acordava de mau humor! (Normalmente sou daquelas que acorda radiante e feliz kkk) Coloquei um calendário gigante na cabeceira da cama onde eu riscava cada dia a menos de repouso!”.

Mãe, Engenheira e Corredora por Paixão - Entrevista com a belíssima Tatiane Santin - Maratona Nova York

 

“Tive insônia, engordei 5kg que não perdi tudo até hoje! Sou extremamente ansiosa e desconto na comida, e assim foi dia após dia. Até que passou, retornei, treinei para maratona como deu! Tanto que em meus relatos de NY eu dizia a todo momento que seria a maratona da reinvenção. Reinvenção por “N” motivos. Motivo por treinar mal (pelo pós operatório) e por estar passando problemas pessoais em casa!”, Tatiane Santin desabafa.

“Como Deus é maravilhoso, e não desampara, NY até hoje foi a prova mais linda e emocionante que já fiz, ficou marcada como minha queridinha! Acho difícil alguma outra tirar essa estrela dela!”, conta radiante.

6) Como é sua rotina de treino e dieta?

“Treino de segunda a sábado! Apenas domingo é off total (as vezes não). Faço 2 treinos por dia, sendo um logo cedo e outro no final do dia”.

Mãe, Engenheira e Corredora por Paixão - Entrevista com a belíssima Tatiane Santin - Pódio 2016

Segunda – musculação/bike  e calistenia

Terça – corrida e musculação

Quarta – musculação/bike e calistenia

Quinta – corrida e musculação

Sexta – musculação/bike

Sábado – corrida

Domingo – off

Já com relação a dieta Tatiane Santin comenta, “Sigo mais ou menos que Marco Jafet passa. Perto de prova foco mais! Normalmente como um docinho todos os dias e finais de semana como e bebo o que tenho vontade. Sonho em ser mais regrada e sinto-me muito mal quando abuso muito. Tem vezes que me sinto culpada, pois as vezes quero zelar pela imagem que passo. Porém não sei ser feliz com dieta restritiva. Sigo em busca do equilíbrio! Tá longe ainda, mas tô em busca!”.

Mãe, Engenheira e Corredora por Paixão - Entrevista com a belíssima Tatiane Santin - Morro do Ernesto

 

7) O que mudou após o apoio da Nike? Mais desafios?

“Mudou tudo! Mudou a parceria. Rs! Só uso nike agora! Kkkkkk e mudou algo muito importante”, conta Tatiane Santin super animada com a nova oportunidade.

“Sempre disse para as pessoas mais próximas que só buscaria performance na corrida até conseguir o índice para Boston! Consegui meu índice em POA esse ano! Então ia para Chicago ser feliz, correr para completar a prova! Mas aí veio o universo + nike e disse: “não! Tente mais um RP em Chicago e lá vou eu!”.

Mãe Sem Frescura - Mãe, Engenheira e Corredora por Paixão - Entrevista com a belíssima Tatiane Santin
“Agora eu falo, depois de Chicago, vou correr só para ser feliz! Sem pensar em tempo e etc . Se evoluir vai ser algo muito natural! Muitos dizem que não vou aguentar! Não sei! Veremos”, falando sobre o futuro.

 

8) Como é inspirar tanta gente? O carinho dos seus seguidores te motiva? 

“Infinitamente sim! Todos meus seguidores me motivam muito! Aaahh se eles soubessem quanto! Cada dia de desânimo penso que muitos esperam ver o treino da Tati! Levanto e vou! Sem contar os depoimentos lindos que recebo de pessoas me agradecendo por de alguma forma ter ajudado na superação. Sempre digo que por isso tudo vale a pena! Todos nós temos missões a serem cumpridas na terra, acredito que uma das minhas é incentivar pessoas a se movimentarem e se superarem! Assim farei sempre, até quando for da vontade de Deus!”, finaliza Tati com gratidão.

“O essencial é invisível aos olhos”.

Mãe, Engenheira e Corredora por Paixão - Entrevista com a belíssima Tatiane Santin - Medalha

 

Apaixonada pela sua família e por corridas, vive intensamente a rotina de mãe que trabalha fora, reforçando o conceito do equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.