Descomplicar a Vida Social Pós Filhos – É possível?

Quando estamos namorando ou já somos casadas temos ou podemos ter uma vida social super ativa, ou seja, podemos ir para qualquer lugar a qualquer hora. Você vai ao cinema, restaurante, encontra amigos e familiares, sempre de uma forma tranqüila, sem choros, birras, etc. Quando os filhos chegam, o cenário muda. No começo, nós só temos olhos para os nossos bebês e aquela vida social que você tinha antes ficou lá trás e naquele momento nem sente falta, porque está 100% focada na maternidade, neste mundo lindo e repleto de alegria. Cada conquista do seu pequeno é a sua conquista.

Mãe Sem Frescura - Descomplicar a Vida Materna - É possível

O tempo vai passando e você vai sentindo falta de tudo aquilo que fazia antes e agora não faz mais. Muitas mães deixam de ir a restaurantes, shoppings e casa de amigos, por causa dos filhos, porque tem medo de passar vergonha com choros e birras que muitas vezes são incontroláveis.

O que os outros vão pensar?
Como lidar com esta situação?
Como posso descomplicar a vida social pós filhos?

Desde que tenho o Flavio nunca mudei os meus hábitos, ia para qualquer lugar com ele a tiracolo. Claro que tive que fazer algumas mudanças, como por exemplo, o restaurante que antes ficava duas horas comendo e conversando, depois com o Flavio só conseguia ficar uma hora. Embora nunca deixei de fazer nada, porque agora tenho um filho, e assim, fui descomplicando a maternidade

Às vezes, estou em um lugar público e vejo mães desesperadas com seus filhos que não param e ficam atrás deles o tempo todo (ainda mais quando começam a andar). Já passei por isso e sei o quanto é difícil. Tem dias que a criança não está bem e precisamos entender isso. Tudo é questão de rotina quando o assunto é bebê/criança. Se você mostra que aquele mundo de sair, passear, dos pais se divertirem é importante, aos poucos entenderão. É um processo difícil e cada criança tem o seu tempo para adquirir entendimento, entretanto não podemos desistir. Em caso de birras, choros ou aqueles momentos que a criança não quer parar um minuto, converse, saia do ambiente ou simplesmente deixe-a explorar a vontade, porque dependendo da idade está somente curiosa para conhecer o lugar e logo passará aquela euforia.

Sempre que fazia um passeio (faço muitos, porque não paro em casa) levava uma bolsa a tiracolo com tudo que o Flavio precisava: comida, bolacha, chocolate, sucos e um montão de brinquedos que chamo de “kit sossega criança”. Se for a algum restaurante, por exemplo, encha a mesa de brinquedos com tudo que o seu filho ama e tenho certeza que conseguirá voltar a sua vida social, talvez não do jeito que era antes, mas com certeza 80% já está garantido.

No ano passado, fomos a uma pizzaria com amigos, o meu filho já tinha 4 anos, entretanto levei futebol de botão (ele que escolheu o brinquedo). Com isso, deixei um espaço reservado na mesa, ele ficou jogando futebol de botão e eu fiquei tranqüila conversando. O mesmo aconteceu quando tinha 2 anos que fui trocar presentes de Natal com amigas em um restaurante. Como ele sempre foi o meu parceiro e era só um encontro com amigas, por que não levá-lo, certo?! Tomei coragem e fui com ele. Foi ótimo e super tranqüilo. Ele se comportou super bem e eu também estava preparada com o meu “kit sossega criança”.

Fazemos tudo, absolutamente tudo para os nossos filhos, entretanto não podemos em hipótese nenhuma, nos esquecer de nós.

Fica a dica!

Priscila Casimiro
Mãe Sem Frescura
Avalie